logo oficina da inteligência

Existe relação entre alimentação e aprendizagem?

Você sabia que alimentação e aprendizagem caminham lado a lado? A forma e o tipo de alimento que as crianças consomem desempenham um papel crucial na construção do conhecimento.

Nos últimos anos, aliás, a nutrição infantil tem se destacado cada vez mais. O avanço das pesquisas e o amplo acesso às informações permitem uma compreensão mais aprofundada dos benefícios de uma introdução alimentar adequada e dieta balanceada para o futuro da criança. Não à toa, muitos pais têm se debruçado sobre o assunto.

A preocupação com a saúde e bem-estar invadiu também as escolas. O aumento das taxas de obesidade infantil em muitas partes do mundo reforça a necessidade de estabelecer hábitos alimentares saudáveis desde cedo. Ao mesmo tempo, as instituições entenderam seu papel na construção de uma rotina alimentar mais equilibrada e saudável – e a importância disso para o desenvolvimento infantil.

 

Por que alimentação e aprendizagem caminham lado a lado?

Desde muito cedo aprendemos que os alimentos são os grandes responsáveis por garantir os nutrientes necessários para o funcionamento do nosso organismo. Mas, o conceito de alimentação saudável vai muito além disso.

Uma dieta balanceada ajuda a regular os níveis de açúcar no sangue e promove a estabilidade emocional, reduzindo o risco de irritabilidade e ansiedade, o que pode interferir no aprendizado. Da mesma forma, os nutrientes encontrados em frutas, vegetais e peixes podem melhorar a memória, o raciocínio e o processo de tomada de decisões das crianças.

Em outras palavras, a ingestão de diferentes fontes de vitaminas, minerais e proteínas, pode contribuir para a melhora significativa do corpo e da mente. Entender e trabalhar a relação entre alimentação e aprendizagem é ainda mais importante na Educação Infantil.

Afinal, é nesta fase que as crianças estão começando a se reconhecer como indivíduos e a se desenvolver.

 

Na prática, isso significa que uma dieta pobre em nutrientes e minerais, por exemplo, pode prejudicar a concentração e o foco, enquanto o excesso de açúcar e gordura pode levar a picos de energia e ansiedade, afetando a concentração e a atenção.

LEIA MAIS: Qual o papel da memória no processo de aprendizagem?

 

O que considerar em uma dieta balanceada?

A rotina exaustiva muitas vezes faz com que os pais optem por alimentos ultraprocessados, ricos em gorduras, sódio e conservantes. Contudo, o fast food da noite, o sorvete ou o misto-quente do café da manhã agregam pouquíssimo valor à vida dos pequenos, uma vez que possuem um nível baixo de nutrientes.

Sabemos que mudar o estilo de vida nem sempre é fácil, mas é possível minimizar os impactos com pequenas mudanças. A introdução de frutas, legumes e verduras é essencial, assim como o consumo de proteínas.

Óleos, gorduras, sal e açúcar, por sua vez, precisam ser utilizados com moderação, enquanto os alimentos processados, como queijos e pães, devem ser consumidos em pequenas quantidades.

Ao adotar uma dieta balanceada, é importante considerar também o consumo de alimentos ricos em vitaminas e minerais que auxiliam o desenvolvimento socioemocional, cognitivo, motor e de linguagem, como:

  • Ômega 3: encontrado em peixes gordurosos, como salmão, sardinha e atum, bem como em sementes de linhaça e nozes, o nutriente é fundamental para o desenvolvimento do cérebro.
  • Vitaminas do Complexo B: auxiliam a manutenção da saúde do sistema nervoso, da pele, dos cabelos e do intestino, com ação direta também na obtenção de energia. Os nutrientes podem ser encontrados em carnes magras, ovos, laticínios, legumes, espinafre e grãos integrais.
  • Vitamina D: essencial para a saúde dos ossos e para a regulação do humor, a vitamina D também desempenha um papel na função cognitiva e pode ser encontrada em alimentos como peixes gordurosos, gema de ovo e cogumelos.
  • Ferro: alimentos como carnes vermelhas magras, feijões, lentilhas, espinafre e cereais são essenciais para garantir um funcionamento saudável do corpo e prevenir a deficiência de ferro, que pode levar a uma série de problemas de saúde, incluindo anemia, fadiga e dificuldade de concentração.

É inegável que alimentação e aprendizagem caminham lado a lado. Investir na nutrição adequada é também investir no desenvolvimento acadêmico e pessoal das crianças.

Mas, como tudo na vida, a dieta saudável, rica em nutrientes, também deve ser divertida, equilibrada e, em alguns momentos, diferente. O ideal é que os alimentos in natura se tornem parte do dia a dia das famílias, ao mesmo tempo em que os salgadinhos, fast food, e picolés na saída da escola se tornem uma exceção.

Investir em receitas diferentes e se colocar como exemplo é essencial para que a mudança faça efeito. Da mesma forma, as escolas devem adotar uma rotina cada vez mais saudável, evitando frituras na cantina e embutidos na hora do almoço ou do jantar.

LEIA TAMBÉM: Qual a relação entre sono e aprendizagem?

 

Acompanhe as melhores dicas sobre aprendizagem infantil!

Facilitar o processo de aprendizagem infantil, capacitando pais e profissionais, é o objetivo da Oficina da Inteligência. Fundada pela psicopedagoga Carla Silva e pelo coach Willian Moreira, a plataforma visa transformar as relações humanas e melhorar o processo de ensino oferecendo treinamentos a professores.

Com uma visão 360º, o site oferece também aos pais todo o conhecimento necessário para que possam participar desta jornada de conhecimento e desenvolvimento. Entre em contato!

Gostou do conteúdo? Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Telegram

Mais conteúdos

Preencha seus dados abaixo e seja VIP:

(Leva menos de 1 minuto) ☺️