logo oficina da inteligência

Dopamina: qual o papel desse neurotransmissor na Educação?

dopamina

Alguns neurotransmissores agem de maneira muito positiva no processo de aprendizagem de uma criança, sendo um delas e dopamina.

Vou explicar melhor: nosso cérebro funciona como uma orquestra sinfônica: as substâncias produzidas em nossa mente integram um grupo chamado monoaminas, que, por sua vez, atuam no corpo humano como neurotransmissores – e cada um tem uma função e uma localização específica. Um deles, aliás, é a dopamina, que está diretamente ligada ao sistema de recompensa do nosso cérebro.

Conhecida como um dos hormônios da felicidade, a dopamina provoca sensações de prazer e aumento da motivação quando liberada no corpo. Isso porque ela age no nosso sistema de recompensa. Um exemplo desse mecanismo é o alimento que ingerimos quando estamos com fome. Mais do que uma necessidade fisiológica, o ato de matar a fome gera satisfação, sentimento despertado com a liberação da dopamina.

 

E qual a relação entre dopamina e Educação?

Na prática, a dopamina é liberada em várias partes do cérebro e tem diferentes funções, sempre relacionadas, no entanto, com atividades neurais e fisiológicas. É o caso, por exemplo, do controle motor, compensação, prazer, humor, atenção, cognição e algumas funções endócrinas.

Do mesmo modo, a substância atua nos processos cognitivos, aumentando os níveis de memória e atenção, auxiliando no controle dos movimentos e desenvolvimento em geral. E é por isso que ela é tão importante para o processo de aprendizagem.

Não dá para negar que um dos grandes problemas da educação está relacionado à falta de atenção dos alunos. Com tantas possibilidades e informações disponíveis, é comum que os professores precisem disputar a atenção dos estudantes.

Embora os jogos, aplicativos e redes sociais sejam, de fato, parte do problema, a dopamina – em excesso ou baixos níveis – também pode influenciar na educação como um todo. Afinal, é esta substância que motiva e impulsiona nosso cérebro em direção às nossas metas.

LEIA MAIS: Alfabetização e neurociência. Ensine qualquer criança a ler e escrever

 

Como estimular adequadamente a dopamina no processo de aprendizagem?

dopamina-na-educacao

Existem dois tipos de estudantes: aqueles que enxergam o processo de aprendizagem como algo prazeroso e gratificante; e aqueles que não veem prazer algum em estudar ou aprender algo novo.

No primeiro caso, quanto maior o desenvolvimento e os resultados, maior o nível de dopamina no cérebro e, consequentemente, de prazer e motivação. O contrário também é verdadeiro: os estudantes que se enquadram na segunda situação têm baixo nível de dopamina no cérebro e, com isso, tendem a ter um desempenho menor e retenção de conteúdo mais limitada.

A boa notícia é que o organismo é capaz de regular naturalmente a produção de neurotransmissores, garantindo níveis equilibrados para que eles desempenhem corretamente suas funções. Por isso, é cada vez mais importante que os educadores usem a dopamina como aliada, estimulando os alunos e ampliando o interesse pelos estudos e motivação dos alunos em sala de aula.

E como fazer isso? Simples: com planejamento e estudo é possível trabalhar os conteúdos de forma mais inteligente e inovadora, garantido o interesse dos alunos do início ao fim. Isso inclui, por exemplo, apostar no uso de tecnologias e plataformas, além de experiências e discussões orientadas, livre de julgamentos.

LEIA TAMBÉM: Como fazer planejamento de aulas com base na neurociência?

A ideia é estabelecer uma conexão com os alunos para que eles se sintam parte do processo e estejam envolvidos no próprio desenvolvimento.

Como a dopamina tende a garantir uma intensa sensação de prazer, recompensa e satisfação, é importante, também, estimular sua produção por meio de leituras, meditação, exercícios físicos e outras atividades que demandem esforços compensatórios.

Igualmente importante é evitar o uso de celulares, tablets, computadores e televisão antes de dormir. Afinal, a substância também atua nos processos cognitivos, contribuindo para melhorar a memória e aumentar o foco e a concentração.

CONTINUE LENDO: 5 dicas para aplicar a neurociência na sala de aula

 

Acompanhe as melhores dicas sobre aprendizagem infantil!

Facilitar o processo de aprendizagem infantil, capacitando pais e profissionais, é o objetivo da Oficina da Inteligência. Fundada pela psicopedagoga Carla Silva e pelo CEO Willian Pedrom, a plataforma visa transformar as relações humanas e melhorar o processo de ensino oferecendo treinamentos a professores.

Com uma visão 360º, o site oferece também aos pais todo o conhecimento necessário para que possam participar desta jornada de conhecimento e desenvolvimento. Entre em contato!

Gostou do conteúdo? Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Telegram

Mais conteúdos

Preencha seus dados abaixo e seja VIP:

(Leva menos de 1 minuto) ☺️